domingo, 4 de março de 2012

Quem quer crescer, quem quer responsabilidades?

Amadurecer e crescer é algo divino, não é mesmo? Adoro dirigir meu carro pelas noites e poder entrar em qualquer lugar para maiores de 18 anos sem ninguém me barrar, isso é muito bom. De repente vem um filme em minha cabeça, me vejo quando tinha 10 anos e me reunia periodicamente com meus amigos da rua para brincarmos sem preocupações, eu vivia dizendo: "Ah, como queria ser grande, trabalhar, ter dinheiro, não ir mais para a escola", ah, só um coração muito jovem para achar que tudo é festa.

Diria que crescer é uma faca de dois gumes, pois ganhamos muitas coisas, mas também abrimos mão de outras que nos lembraremos para sempre. Vai me dizer que não sente falta de seus amigos de infância, seus brinquedos, seus desenhos preferidos que não passam mais? Mas, em contrapartida, a vida vai muito além de brincar o dia inteiro e assistir desenhos até seus olhos arderem, dois lados para toda história.

Não acho crescer algo negativo, muito pelo contrário, imagine se ninguém crescesse e nosso país fosse governado por alguém com mentalidade de 5 anos, estaríamos fritos, todos os rios da cidade seriam de gelatina. Mas acho que, às vezes, crescemos rápido demais e entramos em um mundo que não temos certeza se estamos preparados. Ficamos tão assustados quanto o primeiro dia de aula que frequentamos em uma escola nova, onde todos os rostos eram estranhos e sem significados.

Responsabilidades nos são dadas, escolhas, vão nos dizer que não somos capazes, mas também irão dizer que somos e, de repente, nos veremos sozinhos, não podemos mais chamar nossa mãe para nos ajudar em alguns momentos, parece um filme de terror, né? Eu acho que não.

Por mais macabro que pareça, todas essas coisas que nos acontecem servem para o nosso próprio bem. Somos seres humanos, precisamos de um lugar no mundo e ninguém vai ensinar tão bem quanto nossa própria vida. Se você sempre fugir de seus problemas e ficar se lamentando querendo voltar à infância, se sentirá acuado quando seus problemas se acumularem e te cercarem em um beco onde só há uma parede atrás de você. Vá resolvendo um problema de cada vez, pois se não se acumularem, não irão ser mais fortes que você para te encurralarem no beco.

Vamos nos erguer diante de nossos problemas enquanto pudermos, não aprenderemos  a nadar se não entrarmos na piscina, não é? Vamos encarar de forma positiva, pensemos no futuro, quando olharemos para trás admirados e agradeceremos por tudo o que nos ocorreu, pois isso nos fez pessoas de valor, pessoas íntegras e, além de tudo, fortes.

Para encerrar, citarei uma frase de um seriado de minha infância, Anos Incríveis: "Crescer acontece num piscar de olhos. Um dia você está de fraldas, no outro você já se foi. Mas as lembranças da infância ficam com você a longo prazo. Me lembro de um lugar... uma cidade... uma casa como muitas outras casas... um quintal como muitos outros quintais... numa rua como muitas outras ruas. E o negócio é que... depois de todos esses anos, eu ainda olho pra trás... maravilhado."

2 comentários:

  1. É passa rápido, assusta, mas é bom quando a gente se vê enfrentando as responsabilidades e dificuldades da vida. E quando a gente vê que consegue supera-los "sozinhos" é melhor ainda. Parabéns, Pedrinho!

    ResponderExcluir
  2. Realmente assusta, mas eu nunca deixei de ser criança, é algo que eu não consigo abandonar, saca aquela historia da criança interior, eu nunca a deixei quieta, sempre que pode eu a resgato, a deixo viver mais um pouco. Assim fujo da realidade, dos comprimissos chatos, da rotina que tortura. Por isso que as vezes acho que sou visto como um louco incoveniente, mas cada um vive do jeito que lhe convém. Muito bom o texto cara. Parabéns

    ResponderExcluir