quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

"Para uma pessoa que não perdoa, a vida é um castigo pior que a morte"

Para quem não sabe, sou viciado em filmes antigos, especialmente os lançados nos anos 80. Em um dia desses, assisti ao terceiro filme de uma série cinematográfica que sou muito fã, o Karate Kid. Logo no início do filme, me deparei com uma frase que mexeu muito comigo, a frase foi dita pelo ilustríssimo sr. Miyagi e era mais ou menos assim: "Para uma pessoa que não perdoa, a vida é um castigo pior do que a morte". Será que nosso velhinho está certo?

Quando alguém nos machuca, um ciclo de sentimentos nos afeta, mais ou menos, nesta ordem: ódio, negação, depressão e uma suposta aceitação. Esse ciclo de sentimentos fere a pessoa por dentro , fazendo-a cultivar algo não muito bom,  a mágoa. Uma pessoa com mágoas parece que não vive e sim, sobrevive, pois vê sua vida em ruínas, se sente abandonada, infeliz e com um enorme desprazer em atividades que antes a agradavam. Minuto a minuto, a pessoa se lembra do que a machucou e volta a viver aquele velho ciclo e esse filme nunca acaba. 

Então, quem  magoou se arrepende e pede perdão, eis que surge um divisor de águas. Não adianta negar, a maioria de nós somos orgulhosos e pensamos: "Se ela me fez sofrer, então não quero mais saber dela. Dane-se". Essa é uma atitude errada, pois aumentamos a mágoa dentro de nós mesmos e isso, consequentemente, prejudica a nós mesmos. Quando caminhamos lado a lado com a mágoa, ela acaba se tornando parte da gente e isso não é bom, pois além de não realizarmos nada útil por estarmos perdendo tempo sendo infelizes, também poderemos morrer, porque é comprovado que a mágoa pode levar a doenças fatais.

Senhor Miyagi estava mais do que certo em dizer que "quem não perdoa vive um castigo pior do que a morte", pois com o perdão, eliminamos a mágoa existente dentro de nós e , assim , conseguimos endireitar nossas vidas, focando em coisas que são realmente importantes como nossa família, carreira, amigos, etc. Agora, se formos orgulhosos, ficaremos remoendo nossa mágoa até o dia que não poderemos mais e , ao olharmos para trás, perceberemos que vivemos um castigo que foi pior do que a morte.