terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Estamos vivos e é tudo

Olá queridos amigos. Desculpe pela ausência, andava muito ocupado esses tempos, mas agora as coisas deram uma suavizada e então posso voltar a me dedicar ao blog. Nesses tempos, muitas dificuldades apareceram, pessoas se foram, pessoas chegaram e coisas boas aconteceram. E sabe o que fiz perante a tudo? Agradeci. Sim, agradeci.

Agradeci ao fato de poder levantar toda manhã coma consciência limpa e poder ver o sol pela minha janela, agradeci por ter pessoas maravilhosas ao meu redor que só querem o meu bem, agradeci por ter oportunidades para evoluir, agradeci pelas coisas maravilhosas que me fizeram mais forte, agradeci também pelo que deu errado, pois isso me fez ficar alerta.

Por isso, não se chateie se algo deu errado, não se zangue se foi mal na sua prova. Você está vivo, saudável e com os sentidos funcionando, você tem a vida inteira para consertar seus erros. Sobreviver e ter a chance de mudar tudo nos faz muito bem, a luta só para quando soa o gongo, e eu ainda não ouvi o gongo.

domingo, 28 de agosto de 2011

Cada passo é um começo

Tudo na vida é um começo. Desde quando nascemos até quando envelhecemos. É como um joguinho de video-game (puta que pariu, tô nerd) , cada passo é o começo de uma nova fase. Completamos a fase, ganhamos os pontos, adquirimos um brinde e começamos uma outra fase, mais difícil. 

Se apareceu "GAME OVER" em seu jogo, é porque está na hora de mudar o jeito de jogar e, quem sabe, até esteja na hora de você procurar um jogo a qual se identifique mais. Nada de espatifar o DVD com as mãos, apenas guarde-o em sua caixinha e pegue o que está ao lado.

Pode ser que demore para você zerar um game, pode acontecer de o temido "GAME OVER" aparecer para você várias vezes, mas não desista, sempre comece outro jogo. Agora a parte boa, se você zerar um jogo? Muito bom, parabéns. Será recompensado por isso, ganhará diversos prêmios, mas não pode parar por aí. Sempre temos de correr atrás de outro desafio.

Ao correr atrás de outro desafio, o que estaremos fazendo? Começando outro ciclo. E assim vai a nossa vida também. Começamos no pré, concluímos essa etapa e começamos o ensino fundamental. Depois do fundamental, vem o médio, depois faculdade, emprego, pós graduação, família, carros, contas a pagar, etc. Cada passo que damos é um começo, ninguém está ganhando ou perdendo.

O fim está muito longe, temos muita coisa para começar ainda. Para concluir, queria citar Engenheiros: 

"Nem tão longe que eu não possa ver
 Nem tão perto que eu possa tocar
Nem tão longe que eu não possa crer que um dia chego lá
Nem tão perto que eu possa acreditar que o dia já chegou"



segunda-feira, 22 de agosto de 2011

É uma longa estrada

Nossa vida pode sim ser comparada com uma estrada, pois às vezes seguimos em linha reta, às vezes pegamos uma contramão, fazemos atalhos, entramos em saídas certas e erradas e também, na maioria das vezes, corremos demais.

Infelizmente, não depende da gente o fato da estrada ser longa ou curta. Pois acidentes acontecem e a viagem pode ser interrompida na metade, mas, se a gente der sorte, seguiremos nesta estrada por muito tempo, dando uma derrapada aqui, outra acolá, mas não despencando  no barranco, somente dando uma paradinha no acostamento.

Mas é claro, uma viagem longa é chata de se fazer sozinho. Então, sempre é bom termos uma companhia, mesmo que por um determinado momento, nem que seja só para ir até a cidade mais próxima. O importante é nunca ficar sozinho, valorizar todos ao nosso redor. Nunca deixe que seu pai seja "apenas o cara do outro lado do sofá".

Sempre é bom estarmos de olho nas placas. Não parar na hora certa e não respeitar o limite de velocidade pode abreviar a viagem. Mas existem placas que são armadilhas, que te levarão para um caminho não muito legal, mas sempre conseguimos voltar à estrada principal.

Se pegou a saída errada, pegue o próximo retorno e fique atento da próxima vez. Você demorará para concluir a viagem, mas a concluirá com louvor.

Não importa se estamos na estrada principal ou em um atalho levando para uma estrada errada. O importante é estar seguindo viagem, um dia a gente chega ao destino





terça-feira, 16 de agosto de 2011

A medida de um homem

Quando se fala sobre o que um homem precisa, sempre vem aqueles chavões: carreira, dinheiro, diploma, mulheres, carros, sexo, drogas e rock´n´roll. Mas não concordo com isso, nem sempre o homem precisa só de coisas boas, até porque nada são flores no mundo.

Para ser  um homem completo, acho que todos nós precisamos algum dia ter alguma frustração, ouvir nãos, perder alguém ou até sair de uma batalha sem o ouro e sem o cromo. Não é praga, não. Você vai entender o que quero dizer.

Muitas pessoas buscam esconder os erros, não admitem que estão frustradas com algo ou então falam não sentir falta de alguém que se foi. Eu acho uma tolice esconder isso, pois tudo o que somos hoje é a soma de nossos acertos e erros.

É o famoso caso da criança que sempre mexe no fogão de casa, o dia que a coitada queima a mão, nunca mais mexe no fogão. Viu, é um bom exemplo de aprendizando com os erros.

Então, ao invés de sermos infelizes por nada e ficarmos nos lamentando e escondendo nossa dor, o melhor a se fazer é sentar, pensar nos erros e refletir sobre o que aprendeu com essa experiência, para que no futuro possamos pensar melhor nossas atitudes e sermos pessoas muito melhores.

Sei que é um exemplo idiota, mas dane-se: somos iguais aqueles bonequinhos de RPG, após uma batalha, mesmo se perdemos, adquirimos experiência. A experiência vai somando, mesmo perdendo na maioria, e um dia nos tornamos invencíveis. Tá, na vida real não somos invencíveis, mas evoluímos bastante de level mesmo em batalhas perdidas.
Por exemplo, eu aprendi que não se pode encostar em uma tomada quando se está molhado (tinha nove anos) e agora fico esperto quanto a isso. Agora, imagine se eu pegasse trauma de chegar perto de tomada....Vish!

sábado, 16 de julho de 2011

Você sabe quem você é...

É muito triste quando alguém finge ser quem não é. Não falo isso pelo fato de enganar os outros, mas sim pelo fato de enganar a si mesmo. Do que adianta falar pra todo mundo que você toca guitarra igual ao Hendrix, sendo que, na verdade, você nem sabe montar um acorde?

Como dizia o Renato Russo, "mentir pra si mesmo é sempre a pior mentira", e eu concordo plenamente com ele. Temos que viver a realidade, aceitar nossos defeitos e correr atrás de melhorar, não ficar inventando histórias onde somos quase um protagonista de filme de Hollywood.

Quando a pessoa vive uma ilusão, pode acabar se machucando quando a vida mostra a realidade. O próprio Rocky Balboa já falou que "ninguém vai bater tão duro quanto a vida" e o nosso boxeador favorito também está coberto de razão. A vida cobra muito sério da gente e, muitas vezes, nos abate melhor do que um soco. Se você sabe que é capaz de algo, levante-se e prove a todos quem você é. Se sabe que tem valor, vá e o conquiste.

Uma pessoa fingir ser outra mostra que a pessoa está infeliz consigo e tem necessidade de mostrar a todos que "está bem". Os outros vão acreditar, mas e você mesmo? O que você vai fazer quando chegar a noite e você não tiver mais a quem fingir? Pense nisso.


terça-feira, 28 de junho de 2011

Desempregado também é gente....

Eu fico indignado, parece que só pelo fato da pessoa não ter um trabalho, ela merece ser maltratada pelos outros. Sempre as pessoas vão usar o seu desemprego para dizer que são melhores, por exemplo: "Ah, vai lá no interior buscar meu cavalo, você não trabalha então não vai ficar cansado". Perae, desempregados tem imunidade ao cansaço, que legal cara! E o que dizer quando você critica algo na  pessoa e ela vira e fala: "Pelo menos eu trabalho". Tá bom, você bate na sua mãe, faz intrigas entre os amigos mas você trabalha, você é um ótimo garoto! (ironia)

Trabalho não faz de você melhor que ninguém, ok? O que tem de gente que se gaba de ter carguinho público, mas tira onda no Twitter porque está há três semanas sem fazer nada e que engana o chefe . Qual a diferença de um idiota desses para alguém que está vagabundeando em casa? Tirando o fato do idiota estar ganhando dinheiro, o resto é igual, ele é tão vagabundo quanto.

Só o fato de alguém estar desempregado não o faz vagabundo, acontece que faltam oportunidades e o mercado de trabalho é cada vez mais concorrido. Pessoas alienadas acham que é fácil arrumar emprego, acham que na primeira entrevista te contratam, não é assim cara. 

Tudo bem, às vezes o cara tem QI e entra facinho num trampo, mas o que me ferra é quando um cara desses acha que tem moral pra falar que os outros não vão atrás de nada, AH VÁ! Conheço um tipo que ficava em casa coçando o dia todo e se não fosse um parente arrumar emprego em uma empresa boa, o cara estaria até hoje coçando o saco. Depois que entrou na empresa, o tipo começou a se achar o trabalhador. Agora me diz, que moral um cara desses tem pra xingar alguém de vagabundo?

Então, meu caro, se você tem um empreguinho e gosta de humilhar quem está atrás de um, primeiro olhe suas atitudes antes de chamar os outros de vagabundo. Às vezes um desempregado é bem mais batalhador do que você, que fica todo o período de trabalho no Twitter falando merda e se gabando de não fazer nada no trabalho. Se teu chefe te mandar embora, o que tu vai fazer da vida, vacilão?

domingo, 8 de maio de 2011

Sinal dos tempos...

Fala pessoal, antes que digam algo, sim, eu sumi! Sacumé, tô na correria com a facul, trabalhos e mais trabalhos para fazer e quando chega fim de semana, só quero o colinho da minha namorada. He he. Como vocês podem ver, o tempo para o blog tá cuuuurtinho, mas peço paciência a vocês que tudo vai se normalizar, eu prometo.

Aproveitando o gancho, hoje eu estava comentando com meu primo Vítor a respeito do tempo. É incrível, quanto mais passam os anos, mais aumentam as responsas e menos tempo a gente tem para as coisas. Para vocês terem uma idéia, em sete dias de semana, só vejo minha namorada em dois deles. Também tem o meu pai, que vive a viajar na maluca escala 15X21, ou seja, fico quinze dias sem ver meu pai. Minha irmã também entra na lista, só a vejo de fim de semana, também tem um amigo que conheço há dez anos que a gente não se vê há dois e.....ah, chega!

Se formos ver, a gente dedica muito mais tempo para nossos trabalhos, faculdades e afins do que para o que a gente realmente quer, infelizmente a vida é assim. Só que temos que saber dosar, para que não dediquemos tempo demais para nossas faculdades e trabalhos e tempo "demenos" para nossos amigos, namoradas, família. Como diz a música "Dust in the Wind" do Kansas, tudo o que fazemos se vai com a poeira do vento, não dando para recuperar depois, portanto, se não dermos assistência às pessoas que gostamos, poderemos perdê-las e não mais recuperá-las. Por isso, é sempre bom deixar as pessoas com palavras bonitas, pois pode ser a última vez que a vemos, por causa desse maldito tempo corrido! Do que vale entregar o trabalho em dia e não ter ninguém para comemorar depois? É uma coisa a se pensar...

Para finalizar o texto, gostaria de agradecer ao meu primo Vítor, que, sem dúvida, me deu grande parte das idéias aqui do texto e também me sugeriu este tema, devido ao fato de estar na correria devido ao seu TCC. Vitão colaborou para que o blog não falisse, valeu garoto e boa sorte pra você na faculdade!

Obrigado mais uma vez pela audiência, pessoal!

quinta-feira, 10 de março de 2011

Believe it or not, I´m walking on air!

Como é engraçado o ser humano, por mais que negamos, todos somos oito ou oitenta. Quando estamos tristes, qualquer coisa é motivo de ficar mais triste ainda e quando estamos felizes, sentimos uma sensação de liberdade, parece que estamos andando no céu.

Parece clichê, mas a felicidade está em coisas tão pequenas. Um simples gesto, um olhar e até uma frase boba , às vezes,  pode te encantar mais do que se você ganhar um monte de dinheiro. Descobri isso tardiamente, mas o importante é que descobri. Descobri que um beijo é um remédio para muitas coisas e que não importa para onde vamos quando temos uma boa companhia.

Aprendi também que a mágoa faz mal as pessoas e que também é tempo de perdoar, afinal, a vida é muito curta para a gente perder tempo sendo orgulhoso. Aprendi também que tudo acontece no tempo certo, não adianta tentarmos enganar nosso próprio tempo. Passei a acreditar também em algo fundamental: o destino.

Por esses motivos é que digo que estou andando no céu. Há muito tempo não me sentia tão livre, parece que depois da chuva finalmente apareceu o sol. E do jeito que as coisas estão, acho que o céu não vai ficar preto por muuuuuito tempo.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

"Para uma pessoa que não perdoa, a vida é um castigo pior que a morte"

Para quem não sabe, sou viciado em filmes antigos, especialmente os lançados nos anos 80. Em um dia desses, assisti ao terceiro filme de uma série cinematográfica que sou muito fã, o Karate Kid. Logo no início do filme, me deparei com uma frase que mexeu muito comigo, a frase foi dita pelo ilustríssimo sr. Miyagi e era mais ou menos assim: "Para uma pessoa que não perdoa, a vida é um castigo pior do que a morte". Será que nosso velhinho está certo?

Quando alguém nos machuca, um ciclo de sentimentos nos afeta, mais ou menos, nesta ordem: ódio, negação, depressão e uma suposta aceitação. Esse ciclo de sentimentos fere a pessoa por dentro , fazendo-a cultivar algo não muito bom,  a mágoa. Uma pessoa com mágoas parece que não vive e sim, sobrevive, pois vê sua vida em ruínas, se sente abandonada, infeliz e com um enorme desprazer em atividades que antes a agradavam. Minuto a minuto, a pessoa se lembra do que a machucou e volta a viver aquele velho ciclo e esse filme nunca acaba. 

Então, quem  magoou se arrepende e pede perdão, eis que surge um divisor de águas. Não adianta negar, a maioria de nós somos orgulhosos e pensamos: "Se ela me fez sofrer, então não quero mais saber dela. Dane-se". Essa é uma atitude errada, pois aumentamos a mágoa dentro de nós mesmos e isso, consequentemente, prejudica a nós mesmos. Quando caminhamos lado a lado com a mágoa, ela acaba se tornando parte da gente e isso não é bom, pois além de não realizarmos nada útil por estarmos perdendo tempo sendo infelizes, também poderemos morrer, porque é comprovado que a mágoa pode levar a doenças fatais.

Senhor Miyagi estava mais do que certo em dizer que "quem não perdoa vive um castigo pior do que a morte", pois com o perdão, eliminamos a mágoa existente dentro de nós e , assim , conseguimos endireitar nossas vidas, focando em coisas que são realmente importantes como nossa família, carreira, amigos, etc. Agora, se formos orgulhosos, ficaremos remoendo nossa mágoa até o dia que não poderemos mais e , ao olharmos para trás, perceberemos que vivemos um castigo que foi pior do que a morte.








sábado, 15 de janeiro de 2011

Perda...

Perder algo nunca é legal, ainda mais quando é algo de que gostamos muito. Todos nos lamentamos por termos perdido algo, seja uma pessoa querida, um objeto com valor sentimental ou então uma oportunidade que teria mudado nossa vida.

Embora falamos da boca para fora que superamos nossa perda, na verdade nunca a superamos, pois sempre que falamos nela nossos olhos ficam mareados e aparece aquele sentimento de saudade de como as coisas eram antes da perda. Por exemplo: Você não valorizou alguém que te amava e esta pessoa o largou. Você irá lamentar tal perda e se culpar por não ter sido legal com a pessoa e sempre irá se lembrar dela com um enorme carinho e tristeza. Claro, você evitará tocar no assunto futuramente pois o que todos fazemos é camuflar a perda para evitar sofrimentos. 

Parece que não, mas perder algo que nunca tivemos também dói. Vai me dizer que você não sofreu quando sua amiga, que você achava que poderia se tornar sua namorada, começou a namorar outro sujeito? Ela nunca foi posse sua, mas você sofreu calado por perdê-la para outro sujeito, pois , em sua visão , ela era perfeita para ti. Outro bom exemplo disso é quando você está em uma competição almejando o prêmio que esta dará ao primeiro colocado. Ao chegar em último, você verá o primeiro colocado desfrutando do prêmio e ficará chateado por tê-lo perdido, embora nunca o teve.

Concluindo, não acredito naquele discurso de que "fulano superou sua perda". Imagine que "fulano" seja uma madeira e que as perdas sejam pregos que estão martelando nele. Quando ocorre a perda, o prego é colocado. Por mais que ele seja tirado depois, o buraco continuará lá, é uma marca que não sai com o tempo. Se o fulano tivesse mesmo superado sua perda, sairia por aí falando dela com um belo sorrisão, mas isso não ocorre. Ninguém fala de suas perdas sem chorar. Não vou falar das minhas, não quero molhar meu teclado e não superei a maioria.


terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Ser diferente é normal...

Imaginem se tudo no mundo fosse igual: as cores, as ruas, as pessoas, os carros, etc. Com o tempo iríamos enlouquecer com a tamanha monotonia que o mundo nos proporcionaria. Imagine só, você sair na rua e se deparar com várias pessoas com o mesmo corte de cabelo que o seu, a mesma roupa que a sua, os mesmos gostos que os seus. Agora imagine se a única cor que existisse fosse a preta. Todos os carros pretos, todas as roupas pretas, tudo na cidade preto. Agora o pior, já pensou se no cinema só passasse um único filme para todo o sempre? As diferenças vieram para quebrar essa monotonia e oferecer às pessoas um leque de opções para que elas não enlouqueçam por somente bater em uma tecla. Como diria Raul Seixas: "Prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo".

Nos dias atuais acontece um problema, mesmo com milhares de opções as pessoas insistem em ser iguais. Pode reparar, na maioria dos grupos as pessoas ouvem o mesmo tipo de música, assistem ao mesmo tipo de filme, se vestem do mesmo jeito e têm o mesmo penteado. Com isso, as pessoas que são diferentes acabam sendo discriminadas. Se você ouve um tipo de música que é diferente do que a maioria gosta, vão te discriminar. Se você gosta de um filme que a maioria não gosta, vão te discriminar. Se você se veste diferente, vão te discriminar e por aí vai. Parece que se a pessoa tem sua própria opinião e essa difere da maioria das pessoas, essa pessoa está errada e merece ser discriminada. Desse jeito é melhor que tudo no mundo seja igual, pois mesmo com tantas opções as pessoas insistem em sempre seguir o mesmo caminho.

Se você é igual eu, que sou discriminado por ser diferente, não dê bola, pois as pessoas diferentes é que costumam se destacar com o tempo. Um bom exemplo a ser usado é a cantora Lady Gaga, ela faz o maior sucesso por ser completamente diferente, tanto nas músicas quanto nas atitudes e no jeito de se vestir. Agora, se ela insistisse em ser igual aos outros, será que ela estaria onde está hoje? Outro bom exemplo foi o rei do rock Elvis Presley, que praticamente inventou o rock. Se o Elvis insistisse em ser um cantor igual aos outros de sua época, será que ele teria feito sucesso? Se o que é diferente faz sucesso, porque insistir em ser sempre igual?